Os Ghats sagrados de Varanasi!

Os Ghats são aquelas escadarias em frente ao Rio Ganges, em Varanasi e é nestes locais que podemos sentir melhor a essência da cidade. Estas escadarias são feitas em lajes de pedra e a maioria está associada à lendas e mitologias hindus, enquanto outros são de propriedade privada.

Ghats de Varanasi

Nos Ghats acontecem rituais hindus, cerimônias, banhos de purificação e alguns são reservados exclusivamente para cremações. A maioria de Ghats de Varanasi foram construídos após o ano de 1700, quando a cidade fazia parte do Império de Maratha.

Ghats de Varanasi - Índia

São 87 Ghats e cada um possui um significado único. Os principais são Assi, Dashashwamedh, Manikamanika, Man Mandir, Scindia e Harishchandra.

Não vou falar sobre todos os 87 Ghats, mas selecionei 20, incluindo os mais importantes que serão citados por ordem de localização, de Sul a Norte do Ganges.

Assi Ghat - Varanasi - Índia
Assi Ghat, ao entardecer.

Eu me hospedei no Assi Ghat, o primeiro Ghat, e fiz dois passeios de barco pelo Ganges, o que me proporcionou uma visão  geral de como são os demais Ghats.

Assi Ghat - Varanasi - Índia
Assi Ghat

Assi Ghat: é o que fica mais ao sul de Varanasi e onde se hospedam a maioria dos turistas e pesquisadores. Achei muito interessante, pois todos os dias, ao entardecer, aconteciam os rituais de orações. Haverá um post especial sobre ele.

Ganga Mahal Ghat - Varanasi
Ganga Mahal Ghat

Ganga Mahal Ghat: foi construído em 1830, pela dinastia de Narayan, originalmente como uma extensão a Assi Ghat, separados entre si por um caminho de pedras. Desde que o palácio "Ganga Mahal" foi alojado no Ghat, este foi nomeado como "Ganga Mahal Ghat". O palácio atualmente é utilizado por instituições educacionais.

Bhadaini Ghat - Varanasi
Bhadaini Ghat

Bhadaini Ghat: pela sua localização no bairro de Bhadaini, o Ghat é chamado por esse nome. Em 1907, uma bomba de abastecimento de água foi aberta aqui pela Corporação Municipal de Varanasi, por isso, o Gath também é chamado como Jalakala Ghat.

Anandamayi Ghat - Varanasi
Anandamayi Ghat

Anandamayi Ghat: antigamente se chamava Imaliya Ghat. Este ghat foi construído em 1941, por Rai Baldeo Sahai. Em 1944, uma notável ascética chamada Mata Anandamayi comprou este ghat e desenvolveu a parte superior para seu ashram. Em 1945, a parte inferior foi construída por Shiv Prasad Gupt. Há dois edifícios importantes neste Ghat. Na parte superior,  há o Ananadamayi Ashram, que também abriga um Templo de Annapurna e Shiva e um grande salão de Yajna. O outro anexo é chamado de Anandamayi Kanyapith, uma escola residencial para as meninas terem educação espiritual, juntamente com a educação geral.

Jain- Varanasi
Jain Ghat

Jain ou Bachraj Ghat: há uma enorme suástica (símbolo hindu) pintada nas escadarias. Possui três templos Jain e um deles é um templo muito antigo de Jain Tirthankara Suparswanath. Antes de 1931, este Ghat fazia parte de Vaccharaja Ghat. Em 1988 foi renovado e reconstruído Departamento de Irrigação do Governo de Uttar Pradesh.



Prabhu Ghat - Varanasi
Prabhu Ghat, um dos mais sujos.

Prabhu Ghat: foi construído no século XX, por Nirmal Kumar, de Bengala. Atualmente, acontecem poucas atividades sociais e culturais no Ghat e este é um dos mais sujos de Varanasi.

Chet Singh Ghat Varanasi
Chet Singh Ghat 

Chet Singh Ghat: possui um imponente e histórico forte vermelho e o local foi cenário de uma batalha entre as tropas de britânicas de Warren Hastings contra Chet Singh, em 1781. O forte e o Ghat foram tomados pelos britânicos na segunda metade do século XIX. O famoso festival de Budhwa Mangal, comemorado durante sete dias, é organizado aqui. Não é aconselhado banho nesta área devido à acentuada corrente do rio.

*Originalmente, este Ghat era conhecido em Khirki Ghat, depois foi dividido em cinco Ghats: Cheta Singh Ghat, Niranjani Ghat, Nirvani Ghat e Shivala Ghat.

Shivala Ghat Varanasu
Shivala Ghat

Shivala Ghat: construído pelo Marajá de Varanasi, foi de grande importância durante os tempos medievais. No Século XIX,  o rei nepalês construiu uma magnífica mansão mansão neste Ghat. Em frente, há um pequeno templo de Shiva.

Prachin Hanuman Ghat Varanasi
Prachin Hanuman Ghat

Prachin Hanuman Ghat: o nome anterior era Rameshvara Ghat e foi construído em 1825, por Mahant Hariharanath. O Ghat  possui afinidade com um grande santo Bhakti Vallabha (1479-1531), que estabeleceu o fundamento filosófico para a devoção Krishna. Há oito templos e santuários na área de Hanuman Ghat e Prachin Hanuman Ghat.

Karnataka State Ghat - Varanasi
Karnataka State Ghat

Karnataka State Ghat: até o início do Século XX este Ghat fazia parte do Hanuman Ghat, mas em 1915 a área foi adquirida pela Fazenda de Mysore (Karnataka), que construiu no ghat uma "casa de descanso de peregrinos" (dharmashala), onde a maioria vem do sul da Índia, do Estado de Karnata.  Há uma mureta de laje de pedra divide os dois ghats, ou seja, Hanuman Ghat e Karnataka Ghat.

Harishchandra Ghat Varanasi - Cremações
Harishchandra Ghat, um dos dois Ghats  de cremação

Harishchandra Ghat: é um dos mais antigos Ghats de Varanasi e seu nome se deve ao rei mitológico Harish Chandra, que depois de perder seu reino, trabalhou como assistente neste crematório. Acredita-se que os deuses o recompensaram por sua determinação, caridade e veracidade e restauraram seu trono perdido e seu filho morto.

Harishchandra Ghat Varanasi - Cremações
Apesar de haver um crematório elétrico neste Ghat, alguns copros são cremados fora e por isso há essa boa de isolamento.

O Harishchandra Ghat é um dos dois Ghats de cremação (o outro é Manikarnika Ghat) e é algumas vezes referido como Adi Manikarnika (o solo de criação original). Hindus de lugares distantes trazem os corpos de seus entes queridos para a cremação neste Ghat. Na mitologia Hindu acredita-se que se uma pessoa é cremada no Harish Chandra Ghat, essa pessoa recebe a salvação ou "moksha". O Harish Chandra Ghat foi um pouco modernizado no final dos anos 80, quando foi aberto um crematório elétrico, mas este Ghat é é utilizado como crematório em menor escala do que em Manikarnika.

Vijayanagaram Ghat Varanasi
Vijayanagaram Ghat

Vijayanagaram Ghat:  o Marajá de Vijayanagaram, um principado no Sul da Índia, forneceu os fundos para a construção deste Ghat, em 1890. Este é o único Ghat que representa Andhra Pradesh. Existem os templos dedicados ao Senhor Shiva e Nishpapeshvara.

Causatthi Ghat ou Digpatia Ghat

Causatthi Ghat ou Digpatia Ghat: a parte inferior  foi construída em 1830, pelo Rei de Digapatiya, que também projetou e construiu um belo palácio em estilo Bengali, com varandas em ambos os lados do palácio. Há um templo Yogini com imagens antigas de Kali, Shiva, Ganesha e Kartikeya, entre as 64 imagens de Yogini, que são consideradas o grupo o mais antigo das deusas. Muito peregrinos visitam o templo Yogini e tomam banho de purificação no rio, em frente ao Ghat. Outra ocasião importante é a noite que antecede o Holi, quando é feito um ritual de homenagens no local.

Darbhanga Ghat

Darbhanga Ghat:  antigamente fazia parte do Munshi Ghat,que pertencia ao Sridhara Narayana Munshi,  ministro das finanças na propriedade de Nagpur. Em 1912 foi construído o edifício palaciano de Darbhanga Ghat, com arenito de Chunar, belas varandas e pilares gregos. Em 1915, o Rei Brahmin, de Darbhanga (Bihar) comprou este Ghat e estendeu-o. A extensão tornou-se mais tarde comhecida como Darbhanga Ghat.

Munshi Ghat Varanasi
Munshi Ghat

Munshi Ghat: construído por Sridhara Narayana Munshi, ministro das finanças de Nagpur. Em 1915, o Rei brâmane de Darbhanga (Bihar) comprou este Ghat, atualmente também chamado de Darbhanga Ghat.

Dashashwamedh Ghat Varanasi
Dashashwamedh Ghat, o principal ghat de Varanasi

Dashashwamedh Ghat: localizado próximo ao Templo Kashi Vishwanath, é o mais antigo e importante Ghat de Varanasi. Os hindus acreditam que Brahma criou este Ghat para dar boas-vindas a Shiva e nele sacrificou dez cavalos. 


Dashashwamedh Ghat Varanasu
Dashashwamedh Ghat, é também o mais procurado.

Diariamente, após o por do sol, um grupo de sacerdotes executa "Agni Pooja" (Adoração de Fogo), dedicado a Shiva, Ganga (Rio Ganges), Surya (Sol), Agni (Fogo) e a todo o universo. Às terças-feiras e em festivais religiosos, são realizados rituais (aratis) especiais. Depois dos rituais de agradecimento, as pessoas descem até o rio para soltar as suas oferendas. Estes rituais podem ser assistido das escadarias ou de dentro de barcos, que ficam lotados neste horário.

Rajendra Prasad Ghat Varanasi
Rajendra Prasad Ghat

Rajendra Prasad Ghat: inicialmente fazia parte Dashashvamedha Ghat, mas em 1979, foi dividido e batizado em memória e honra de Rajendra Prasad, que foi o primeiro presidente da Índia.

Man Mandir Ghat Varanasi
Man Mandir Ghat

Man Mandir Ghat: o nome antigo deste ghat era Somesvara, mas em 1585, quando Raja Savai Man Singh (de Amber/Rajastão) construiu seu palácio e o Ghat teve seu nome alterado em homenagem a ele. No alto está um observatório Hindu construído por Savi Ji Singh II, onde os devotos rendem homenagem ao Lingam de Someswar, o Senhor da Lua.

Manikarnika Ghat principal ghat de cremação em Varanasi
Manikarnika Ghat, o principal ghat de cremações 

Manikarnika Ghat: é o principal ghat utilizado para a cremação hindu em Varanasi. Ao lado dele, há plataformas que são usadas para os rituais de aniversário de morte. Segundo uma lenda, um brinco de Shiva ou de sua esposa Sati, caiu no local.  Este Ghat também terá um post especial sobre ele.

Scindia Ghat Varanasi
Scindia Ghat

Scindia Ghat: construído por Scindia, em 1830, possui um templo de Shiva que está inclinado, submergido parcialmente no Ganges, provavelmente, devido ao seu próprio peso excessivo. Acima do Ghat, diversos santuários estão situados dentro do labirinto apertado das ruas de Siddha Kshetra. De acordo com a mitologia Agni , o Deus de Fogo hindu, nasceu aqui. Neste lugar, os devotos hindus pedem a Vireshwara, o Senhor de todos os heróis, por um filho.

Você já tinha ouvido falar nestas escadarias do Ganges? Qual você achou mais interessante?

Beijos,
Ana Maria
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

8 comentários :

  1. Oi Ana,
    Fiquei encantada! Não sabia se existiam tantas escadarias na Índia, eu achava que era uma só! Vivendo e aprendendo.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Betty, sabe que eu também pensei que era uma só, hahhaha... foi quando cheguei lá que eu vi que são 87 em volta do Ganges. E cada uma tem um significado, uma história. Muito interessante.
      Beijos

      Excluir
  2. Bela arquitetura!Quanta escadaria!

    bjs,Ana Maria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Paulo, é escada que não acaba mais!
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, são muitas informações que não sabia sobre os Ghats. Você conheceu algum sadhu?
    Se não for inconveniente pra você, é permitido você dar informações de custos de uma viagem de sete dias mais ou menos? Caso for inconveniente, desconsidere a pergunta rsrsr

    Belíssimo blog, acompanharei as atualizações!

    Beijos
    Ezequiel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ezequiel,
      Pois é, muita coisa eu só descobri lá mesmo, pois também não sabia.
      Encontrei vários sadhus, em Varanasi eles estão por toda a parte.
      Sobre os custos, não é inconveniente não, mas esta questão é muito relativa, pois depende do que vc pretende fazer por lá, cidades a visitar, enfim, depende do teu roteiro e do tipo de hospedagem que vc vai ficar.
      A Índia pode ser bem econômica ou muito cara. Eu não fiz nem um extremo e nem outro. Fiquei em bons hotéis, mas este ano me desloquei muito de avião, então os custos foram maiores, mas me diga mais informações que eu posso te dar uma ideia de valores. Aí vc escolhe, se quer gastar mais ou menos.
      Obrigada por acompanhar o blog.
      Já postei muito sobre a Índia, se vc consultar posts anteriores, vai encontrar muita coisa legal.
      Abraços

      Excluir
  4. Se pudesse visitaria tudo o que estudo sobre eles, mas seria o basico: Taj Mahal, Varanasi, o forte de Jodpur (se não me engano), o templo Bahai e os vários templos jainistas, budistas, etc.
    Dá pra tirar a média??
    Sim, estou vendo todos os post que não tinha vista ainda e estou amando as fotos e as informações, novas pra mim.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ezequiel, estes lugares que vc citou eu fui e tem post aqui no blog. O Forte de Jodphur é belíssimo, fiz 3 posts sobre ele e, se não me engano, dois vídeos.
      O templo Bahai é o Lótus Temple, fica em Delhi, a entrada é gratuita e a fila é quilométrica, mas também vale muito a pena visitar.
      O Taj Mahal não preciso nem falar nada, é a maior atração da Índia. Fui 2 vezes lá.
      Vá se informando bastante e planejando, o que é caro mesmo é só a passagem aérea, o resto é bem acessível para nós brasileiros. Mas vc pode ficar de olho nas promoções das companhias aéreas também.
      Abraços,
      Ana

      Excluir

Obrigada por comentar!
É bom demais receber o retorno dos leitores. Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.