Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!

Já  publiquei alguns posts e vídeos sobre lugares visitados em Varanasi, a cidade sagrada do hinduísmo, mas ainda não tinha feito uma "panorâmica" sobre cidade, o que visitar, onde é melhor se hospedar, quantos dias ficar, enfim, informações básicas e este é o assunto de hoje.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!

A origem do nome
Varanasi, também conhecida pelos indianos como Varanassi, Benares, Banāras e, localmente, como Kashi, é uma cidade do estado de Uttar Pradesh, na Índia, localizada às margens do Rio Ganges.

*As  denominações Banaras ou Benares são uma alusão ao rei mitológico Benar.

Varanasi na Índia
Localização de Varanasi no mapa da Índia

Varanasi é a junção do nome de dois afluentes do Ganges, que delimitam a cidade na parte antiga: Varuna, ao norte e Assi, ao sul, que atualmente é um pequeno riacho próximo ao Assi Ghat (escadaria Assi). Varuna e Assi: Varanasi.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Parte antiga de Varanasi

A fundação de Varanasi
Varanasi possui mais de 3 milhões de habitantes e é uma das cidades mais antigas do mundo. A data exata da fundação é desconhecida, já que as únicas fontes de informações vêm das tradições hindus. Segundo os brâmanes, Varanasi foi fundada por Shiva, o principal deus hindu,  há mais de 5.000 anos, o que dela uma das sete cidades sagradas do hinduísmo. Porém, alguns historiadores consideram a hipótese de que a cidade tenha surgido há cerca de 3.000 anos.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
 Comércio na parte antiga da cidade

Economia 
A tecelagem de seda é a indústria dominante em Varanasi, atividade predominante dos muçulmanos, com mais de meio milhão deles trabalhando no setor. Varanasi é famosa em toda a Índia por sua produção de seda muito fina e saris Banarasi, brocados com  trabalhos em fio de ouro e prata, que são frequentemente utilizados em casamentos e ocasiões especiais.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Agência de Turismo em Varanasi

O turismo é a segunda indústria mais importante de Varanasi. Anualmente, mais de 3 milhões de turistas nacionais e 200.000 estrangeiros visitam  a cidade para fins religiosos. Além do Ganges e dos Ghats (escadarias), outra atração são os templos. Existem cerca de 23.000 templos em Varanasi e, claro, é inviável visitar todos.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Entardecer em Assi Ghat

Além da importância para os hindus, Varanasi foi o berço do Budismo, pois foi na localidade de Sarnath (distante 13km) que Sidarta Gautama recebeu a iluminação e tornou-se Buda.  E, devido ao grande número de muçulmanos, o islã também é uma religião forte na cidade.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Familiares levando o corpo de seu ente para ser cremado próximo ao Ganges.

Varanasi e o Rio Ganges são locais sagrados para os hindus. Muitos doentes terminais fazem sua última viagem até Varanasi. Eles acreditam que a morte na cidade lhes trará a vida eterna, encerrando ali o seu o ciclo de reencarnações, que é o estágio mais desejado para religião hindu.

No site do hotel onde me hospedei está escrito: "Sobre morrer aqui e ser cremado no Sagrado Ganges, diz-se que é um passaporte garantido para o céu e a libertação do ciclo da morte e do renascimento".

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Este Sadhu ("homem santo") pulou na frente do meu táxi e me assustou muito.

A cidade tem uma parte nova, com shopping centers moderno e tudo o que qualquer outra cidade grande da Índia pode oferecer. Mas é na parte antiga que Varanasi exibe toda a sua essência.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
As vacas (e touros) estão por toda a parte

A cidade antiga é exatamente como mostram os filmes, as revistas, internet, etc. Ela é exatamente assim: extremamente poluída, barulhenta e muito populosa. E cheia de vacas por toda a parte. Foi em Varanasi que eu atolei meu pé em uma bosta de vaca e precisei joga fora o tênis, porque ele ficou todo esverdeado!

 Vendedora de legumes e seu "tabuleiro"

Quantos dias é o ideal para conhecer a cidade
Depende do que se pretende ver. Se for apenas para ver o Ganges, um dia já é suficiente. Mas se você quiser visitar alguns templos, fortes e os arredores da cidade, o ideal, no mínimo, são 3 dias. Eu fiquei 5 dias em Varanasi e explorei bastante a cidade e arredores. Naveguei duas vezes pelo Ganges, sendo que uma foi noturna.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Assi Ghat e o Ganges

Onde se hospedar
O ideal, para quem quer realmente entrar no clima da cidade, é se hospedar na parte antiga, próximo aos principais Ghats (grande escadarias junto ao Ganges), onde muita coisa acontece e podemos entender um pouco como é esta devoção ao Ganges.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Hotel Temple on Ganges

Lembrando que a parte antiga é realmente muito antiga e os hotéis idem. Porém, sem dúvida, é a melhor localização.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Vista do Ganges do alto do Roof Top do hotel, onde fica o restaurante.

 Eu me hospedei no Hotel Temple on Ganges, em  Assi Ghat, com uma vista espetacular para o Rio Ganges. No próximo post falarei um pouco mais sobre ele.

Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Varanasi, a cidade mais sagrada da Índia!
Não podia faltar as fotos da série "Exóticos são sempre os outros"

O que eu visitei em Varanasi e região 
As palavras grifadas em azul correspondem aos posts e vídeos já publicados, clique nelas para saber mais.
Chegada em Varanasi e o aeroporto, que fica em Babaptur, distante 26km.
Wat Thai Temple, em Sarnath, distante 13 km de Varanasi - um tempo budista tailandês.
Chaukhandi Stupa, em Sarnath, onde Buda encontrou os seus 5 primeiros seguidores.
Forte Ramnagar, o forte onde mora o Marajá de Varanasi.
Encantador de Serpentes, este eu encontrei a caminho do Ganges.
Forte Chunar: forte cheio de mistérios e lendas, distante 45km de Varanasi.
Hotel Temple on Ganges: próximo post.
Ghats: grandes escadarias onde são realizados os rituais e outras celebrações religiosas. Posts em breve.
Rio Ganges: posts em breve.
Rituais: de oração, em Assi Ghat e cremações, em Manikarnika Ghat. Posts em breve.

Sugestão: um lugar interessante para visitar, em Sarnath, bem próximo ao Wat Tai Temple, é o Templo Bodhgaya, local onde onde Buda atingiu a iluminação. 

Então, achou interessante saber um pouco mais sobre Varanasi?
Beijos,
Ana Maria
LEIA MAIS

O Forte Chunar e suas estórias sobrenaturais!

Devido à sua localização estratégica, durante séculos o Forte Chunar foi cena de muitas batalhas e disputas violentas entre reis de diferentes dinastias e alguns deuses foram reverenciados neste forte, o que gerou muitas lendas.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Portão de acesso ao pátio principal, que fica sobre às masmorras

Mais tarde, já sob o domínio inglês, o Forte Chunar passou a abrigar uma prisão estadual e também uma câmara/sala de execuções, onde seus prisioneiros eram executados de forma muito cruel. Desde então, o forte também carrega o estigma de um local mal assombrado, com muitas estórias e mistérios sobrenaturais.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
O copyright sobre o romance expirou em 1964 e está em domínio público, juntamente com outros títulos do autor.

Tudo isso foi reforçado pelo romance Chandrakanta, escrito por  Devaki Nandan Khatri e publicado pela primeira vez em 1888, onde o Forte Chunar é descrito como  um lugar assombrado por eventos sobrenaturais. A leitura é classificada como "fantástica".  Em 1990 o romance virou uma série na TV indiana, que nunca foi concluída, por falta de recursos financeiros

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Portão de acesso à principal entrada do Forte Chunar

A tomada do Forte pelos britânicos e o início de uma era sombria no Forte Chunar.
Logo após a tomada do Forte, em 1772, os britânicos o transformaram no principal depósito de artilharia e munições das províncias do noroeste indiano.

Em 1781, O Marajá Chet Singh levantou uma rebelião em Varanasi e nas aldeias ao redor do forte e tomou posse temporariamente, mas foi despejado pelas tropas britânicas.

Em 1791, o Forte de Chunar transformou-se na matriz de um batalhão inválido das tropas europeias e indianas que serviam na Índia. Oficiais e soldados que eram considerados fisicamente inadequados para o dever de campo, foram deslocados a este forte e atribuídos deveres leves.

A partir de 1815, o forte passou a abrigar prisioneiros estaduais. Segundo relatos, é a partir desta data que começaram as execuções cruéis, traiçoeiras e desumanas.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Este buraco era uma fonte de ar e luz para as masmorras

Os prisioneiros eram jogados nas masmorras escuras e frias, que ficam no subsolo do Forte e o único canal de ventilação eram alguns buracos de ar que ainda hoje se encontram no pátio do forte. Não sei exatamente como aconteciam as execuções.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Pátio do forte e alguns dos buracos de ventilação das masmorras

No pátio, acima das masmorras existem várias celas comuns que eu pensei serem prisões, mas pelo que eu me informei depois, eram usadas como moradias pelos soldados. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
À esquerda, parte das celas. No centro, ao fundo, templo hindu. À direita, o pavilhão Sonwa Mandap.

No pátio, acima das masmorras existem várias celas comuns que eu pensei serem prisões, mas pelo que eu andei lendo depois, estas eram usadas como moradias pelos soldados do forte. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Não tenho certeza desta informação, pois não é oficial, mas dizem que aqui era a moradia dos solados que viviam no forte. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Essa parte fica atrás das grades, mas me parece ser uma construção bem recente.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Estas celas ficam ao lado do templo hindu

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Sonwa Mandap

Este é o Sonwa Mandap, pavilhão aberto, estilo hindu, com 28 pilares. tem 28 pilares e sua construção possui a arquitetura e estilo hindu.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
 Interior do Sonwa Mandap

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Interior do Sonwa Mandap

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Vista das celas do interior do Sonwa Mandap

Quando eu visitei o Forte Chunar, não era possível entrar nas celas, que ficam em frente ao pavilhão Sonwa Mandap, e muito menos ir até as masmorras. Porém, vi fotos na internet, de alguns anos atrás, com turistas visitando as celas e o acesso às masmorras não estava bloqueado.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
No pátio há vários destes acessos às masmorras, mas estavam interditados.

No lado oposto à entrada principal do forte e de frente para o Ganges, podemos ver os pilares de uma ponte que está sendo construída. No local há uma provisória, com uma espécie de rolamento embaixo e cada vez que passa um veículo, o barulho é enorme e pode ser ouvido lá do forte.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Ponte provisória sobre o Ganges e uma nova em construção

Não era possível também chegar próximo à sala/câmara de execuções, pois uma espessa vegetação isolava o local. Mas imagino que o acesso principal seja através do subsolo. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Essa é a câmara/sala de execuções

Dizem que os espíritos de muitos prisioneiros barbaramente executados ainda vivem pelo forte e que é possível escutar os seus gritos, sentir a sua presença e também  ouvir os seus passos, porém, não é possível vê-los.

Não é aconselhado ficar olhando muito para os cantos escuros e sujos e muito menos responder à alguma voz.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Poster de divulgação do filme Gangues de Wasseypur

Fato curioso:  neste forte também já foram gravados vários filmes de Bollywood e, em 2012, enquanto filmava Gangues de Wasseypur, o Diretor Assistente morreu misteriosamente. Um padre da cidade declarou que o diretor burlou continuamente as regras de segurança do forte, mas há quem acredita que foi algo sobrenatural que causou a morte do diretor.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Poço gigante com 4,6 metros de diâmetro

Este poço gigante possui um diâmetro de 4,6 metros e é muito profundo. Por um erro, eu coloquei no vídeo que a profundidade é 4,6 metros, mas não sei o correto, porém, é muito mais do que isso.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

À esquerda do poço há uma entrada com uma escadaria que dá acesso ao poço. Podemos chegar bem perto de onde está a água, que atualmente não é potável.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Escadaria de acesso ao poço

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Essa fenda na parede do poço  é o final da escadaria.

Depois de 1890, as tropas foram retiradas do forte e o Complexo tornou-se propriedade da administração civil, que usava este lugar como uma cadeia de convalescentes. Posteriormente, tornou-se um centro religioso.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Ainda na área do forte, há alguns trechos bem bonitos, como este caminho.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Seguindo pelo caminho do jardim, chegamos a esse prédio, que oferece uma bela vista para o Ganges.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Este uma área coberta e com uma sombra maravilhosa, onde muita gente aproveita para descansar e apreciar paisagem, de frente para o Ganges.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
 Esta janela me lembrou a janela da casa da Julieta, em Verona, na Itália

Atualmente, o Forte Chunar é sede do Uttar Pradesh Provincial Armed Constabulary (UP-PAC), que é o Centro de Treinamento do Núcleo Armado Provincial do Estado de Uttar Pradesh.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Esta unidade de polícia estadual é especializada em ações como segurança em eleições, festivais, feiras, eventos esportivos e desastres naturais, como também assuntos mais sérios da lei e participação em operações antiterroristas. Por este motivo, o Forte Chunar está na lista de desejo dos Naxalites (grupos de militantes comunistas que operam em diferentes partes da Índia), pois no local se encontram uma grande quantidade de armas e munições armazenadas em seu arsenal.

Assim, o Governo do Estado de Uttar Pradesh tem dirigido a polícia para um cuidado especial na proteção do  forte e de suas instalações.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Não há qualquer transporte público com acesso até o Forte ou informações turísticas sobre ele. Também não há guias, talvez por isso o forte não seja um local muito visitado. Eu contratei um táxi para fazer um tour pelos arredores de Varanasi e foi ele quem sugeriu a visita a este forte.

Manutenção e melhorias no Forte Chunar
A aparência geral do forte é de um local bastante abandonado mas, se comparando com fotos de 4 ou 5 anos atrás, que eu baixei da internet, é possível perceber que muita coisa melhorou por lá. Embora em passos lentos, mas os reparos estão sendo feitos.  

*Veja algumas comparações que eu fiz em fotos de 2010 (não são minhas, mas vou procurar com o nome dos autores e dar os devidos créditos) e de 2016 (estas são minhas).

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Parte interna logo após o portão de entrada principal do forte

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Pavilhão Sonwa Mandap

Retiraram essa pintura branca, que já estava muito suja e o Pavilhão Sonwa Mandap ficou infinitamente mais bonito assim.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Parte das celas do pátio do forte

A parede externa das celas não melhorou muito, mas pode-se perceber que o piso do pátio foi totalmente restaurado.

Informações básicas do Forte Chunar
Localização: cidade de Chunar, distrito de Mirzapur (distante cerca de 45km de Varanasi).
Horários de visitação: diariamente, das 9 às 19 horas.
Entrada: gratuita

Então encerro aqui a série de três posts sobre o enigmático Forte Chunar. Para ler o post sobre As Lendas do Forte Chunar e para assistir ao vídeo sobre O Forte Chunar e seus mistérios sobrenaturais clique nos nomes em negrito.

Nestes posts sobre o Forte Chunar e fugi do clichê de dicas meramente turísticas para contar um pouco mais sobre tudo o que envolve este forte. Foi super difícil encontrar informações em inglês (e muito menos em português) sobre ele. Talvez exista em hindi, mas aí nem o Google Tradutor ajuda!

Espero que você tenha gostado!
Beijos,
Ana Maria
LEIA MAIS

As principais lendas sobre o Forte Chunar, na Índia

O Forte Chunar foi o mais diferente de todos os fortes que eu visitei na Índia, tanto pela sua história, seu visual interno (arquitetura hindu e islâmica) e, principalmente, pelas lendas e mistérios sobrenaturais que o cercam.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Portão da entrada principal ao Complexo do Forte Chunar

O Forte Chunar, também conhecido como Chandrakanta, Chunargarh e Charanadri, está localizado na cidade de Chunar, distrito de Mirzapur, que fica distante cerca de 45km de Varanasi, na Índia. Além do Rio Ganges, que o serpenteia em forma de S,  o forte é rodeado por áreas montanhosas e cachoeiras.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

As únicas informações sobre o Forte Chunar que existem no local são estas placas, provavelmente em hindi, totalmente incompreensíveis para mim.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Mapa da área do forte

Neste mapa da área do Complexo, com alguns nomes em inglês, foi o único lugar onde eu consegui identificar algumas coisas.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Área em volta do portão de acesso ao Complexo principal do forte.

A cidade de Chunar faz parte da administração do forte, juntamente com o Ministério de Turismo e o Levantamento Arqueológico da Índia. Atualmente o Forte Chunar tornou-se sede do PAC (Provincial Armed Constabulary), que é o Centro de Treinamento do Núcleo Armado Provincial,  uma unidade de polícia especializada em tratar de ações mais sérias da lei. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Apesar do visível abandono, algumas  pequenas melhorias estavam sendo sendo feitas no forte. Vi na internet algumas fotos de 2011 e o estado do lugar era bem pior. Então, alguma coisa, mas em ritmo bem lento, está sendo feita por lá. Certamente faltam verbas para uma restauração mais completa.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Vista do alto do Forte  Chunar para o Ganges e das colinas que o rodeiam.

O Rio Ganges ondula em forma de S ao contornar o Forte Chunar

A construção do Forte Chunar 
Este forte, sem considerar o abandono atual, não tem glamour algum, pois ele não foi construído para abrigar a residência de nenhum rei e sim, para ser um forte militar. Sua localização, no alto de uma rocha de 85 metros, com uma vista panorâmica para o Rio Ganges e toda a região, era muito estratégica e todas as tentativas de ataques a ele podiam ser visualizados.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Pintura em um antigo quadro sobre o Forte Chunar -  Orientação Norte

A face rochosa do forte, com enormes muralhas com vista para o Ganges, possui uma inclinação íngreme que o torna impossível de ser invadido pelo rio, pois qualquer tentativa de ataque era repreendida com fortes cilindros brutos que rolavam morro abaixo sobre os inimigos. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
O fosso entre a muralha e o forte foi tomada pela vegetação

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
As muralhas eram de pedras, mas as paredes do forte são de tijolos

O forte foi construído em camadas de pedras da região, pelos mais qualificados pedreiros da época, porém, as paredes externas do forte (frente terrestre) não eram muito fortes e foram quebradas quando as forças britânicas atacaram o forte batendo nelas com um trem.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Os diferentes domínios do Forte
O Forte Chunar foi construído, originalmente, no ano de 1029 (Século XI) pelo Rei Sahadeo e foi reconstruído diversas vezes ao longo dos séculos. Durante mais de 900 anos ele foi tomado por diferentes dinastias e governos. Em 1537, o Imperador Humayun fez um esforço mal sucedido para capturar o Forte Chunar.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Vista do Ganges e arredores, do alto do Forte Chunar

Em 1575, Akbar, o grande Imperador Mughal,visitou Chunar para shikar (caçar) e, com  um grande exército, capturou o forte, por considerar sua localização estratégica para proteger o Ganges e as principais rotas terrestres para a Índia oriental. Durante o reinado de Akbar, o forte recebeu melhorias importantes que o deixam com o aspecto arquitetônico atual. O forte então permaneceu sob o comando mughal até 1772, quando a Companhia das Índias Orientais usurpou  o forte, que ficou sob o domínio do Raj Britânico até 1947, quando o país conquistou a sua independência. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

As principais lendas que envolvem o Forte Chunar
Feita uma pincelada histórica, vou contar sobre as principais lendas que envolvem o Forte Chunar, cuja origem remota o ano 56 d.C., bem antes da sua construção de fato, em 1029. 

Primeira Lenda - A lenda do Rei Bali e a origem do nome Chunar 
Há muitas lendas que ligam o forte aos aspectos divinos e uma delas é a história do grande Rei Bali. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Tem até um templo dentro do forte,  em devoção ao deus hindu Vishnu.

Forte Chunar, Mirzapur, Índia
Zoom na placa em frente ao templo

Bawan Bhagwan, uma das reencarnações do Deus hindu Vishnu, apareceu disfarçado como um brâmane, implorando por três pés de terra. O generoso Rei Bali concordou e o Deus colocou o seu primeiro passo na colina do Forte Chunar e lá deixou a marca do seu pé. O local ficou então conhecido como "Charanadri", que ao longo dos anos tomou a forma curta de "Chunar". 

Segunda Lenda – O Rei Vikramāditya de Ujjain 
O irmão do rei, Bharthari, que optara por viver a vida de um eremita, começou a viver perto da rocha de Chunar. Percebendo a situação de seu irmão, o Marajá Vikramadiathya, rei de Uijain, visitou Chunar, e depois de descobrir o paradeiro de seu irmão, através do eremita Goraknath, construiu uma casa para o mesmo viver, no local onde hoje é o Forte Chunar. A pedra negra onde o Bhatinath vivia e rezava é adorada até hoje, tanto que os hindus acreditam que Bhatinath está sentado na área do forte, em uma forma invisível. 

*Não vi nenhuma indicação no local sobre esta pedra negra. Talvez até tenha passado por ela, mas não me chamou a atenção.

Terceira lenda – Prithviraj, o Rei do Rajastão 
O Rei Prithviraj anexou Chunar sob o seu governo e também muitas aldeias vizinhas. Após sua morte, seus descendentes venderam a terra a Khair-ud-din Subuktagin. Uma inscrição em sânscrito (não muito legível) na entrada do forte menciona que o lugar tinha sido tomado por Swami Raja. Mais tarde, o forte foi adquirido por Sahab-ud-din, que por sua vez nomeou um Sanidi (um africano) e um Bahelia, e deu-lhes títulos de Hazari (Governadores do Forte") e lhes também conferiu um Jagir (concessão feudal com poderes de governar e completar impostos). Diz-se que a familia Bahelia estava na posse das propriedades da terra até que o forte foi tomado pelos britânicos em 1772. 

Quarta Lenda – O tesouro do Rei de Chunar 
Dizem que o Rei de Chunar,(pela ordem cronológica, acredito que era o Imperador Bahadur Shah II, o último Imperador Mughal) ,enterrou o seu rico tesouro no forte, porque ele sabia que o povo britânico iria levá-lo deles. Junto ao tesouro, colocou um Atma. 
*Atma ou Atman: palavra em Sânscrito que significa alma ou sopro vital. Na teosofia representa a Mônada, o 7º princípio na Constituição Setenária do Homem (Os 7 princípios do Homem), o mais elevado princípio do ser humano. 

**Onde será que estaria enterrado este tesouro? Caso ele realmente existiu, penso que já deve ter sido resgatado secretamente, é claro!

Quinta Lenda – A sombra de Deus 
Junto a uma das entradas do Forte Chunar há uma laje de pedra quadrada com sombra fornecida por uma árvore peepal (Ficus religiosa ou figueira sagrada) onde, de acordo com a lenda local, Deus permanece sentado nela por 9 horas, durante o dia. Nas primeiras 3 horas do dia, das 6 às 9h da manhã, Ele está em Varansi e depois é que se muda para o Forte Chunar. Acredita-se que, somente durante a ausência de Deus é que o forte pode ser capturado.

A árvore peepal
Vi diversas árvores peepal (que são árvores frondosas: com muitas folhas) pelo forte e não encontrei qualquer indicação sobre qual seria esta árvore, mas pesquisando pela internet eu descobri qual era.

Árvore Peepal no Forte Chunar
Árvore Peepal no Forte Chunar, onde, segundo a lenda local, Deus descansa à sua sombra durante 9h

Após a entrada pelo portão principal do Complexo, esta árvore fica à direita deste. Passei por ela, mas como eu não sabia, não a fotografei melhor.

Árvore Peepal no Forte Chunar
Esta foto eu extraí do vídeo. Tem muita gente disputando a sombra com Deus.

Não sei os horários das sucessivas invasões e tomadas de poder que o forte sofreu durante séculos, mas se for de acordo com esta lenda, só pode ter sido entre 6 e 9 horas da manhã. 

Forte Chunar, Mirzapur, Índia

Para este post não ficar ainda mais longo, deixei para o próximo sobre os mistérios sobrenaturais atribuídos ao Forte Chunar, que eu também contei (resumido) no vídeo, que está no post anterior. 

Você gosta deste assunto sobre lendas e mistérios? O que achou destas lendas sobre o Forte Chunar?

Beijos,
Ana Maria
LEIA MAIS