Ganesh Tok, em vídeo!

Mais cedo teve o post e agora já está no ar o vídeo com a minha visita a Ganesh Tok, um templo de devoção e adoração à Ganesha, o Deus hindu da sorte, prosperidade e sabedoria.


Ganesh ou Ganesha é um dos mais populares e venerados deuses hindus. O templo Ganesh Tok fica na cidade de Gangtok, capital do estado de Sikkim, no nordeste da Índia. 

Mas agora, que tal assistir ao vídeo? Aperta o play e vem comigo!


Se você gostou do vídeo, lembre de deixar o seu joinha lá no youtube, tá? obrigada! Se você ainda não é inscrito no canal, aproveite para fazer isso agora, assim você  fica sabendo logo quando tem vídeo novo!

Beijos,
Ana
LEIA MAIS

Ganesh Tok, um templo de devoção à Ganesha!

Ganesh Tok é um dos mais famosos templos de Deus Ganesha (ou Ganesh), em Gangtok, capital de Sikkim. O templo está localizado no topo de uma colina panorâmica e fica distante 7km do centro da cidade, perto da tore de televisão de Sikkim.


Quem é Ganesh ou Ganesha
Para quem não sabe, Ganesh ou Ganesha é o Deus da sorte, da prosperidade e da sabedoria e um dos mais conhecidos e venerados deuses do Hinduísmo. Ele é o primeiro filho de Shiva e Parvati, e o esposo de Buddhi. Ganesha representa uma solução lógica para os problemas, é o "Destruidor de Obstáculos". O culto de Ganesha é amplamente difundido, mesmo fora da Índia. Seus devotos são chamados Ganapatyas.

Ganesha é representado como uma divindade amarela ou vermelha, com uma grande barriga, quatro braços e a cabeça de elefante com uma única presa, montado em um rato. É, habitualmente, representado sentado, com uma perna levantada e curvada por cima da outra. Em geral, antepõe-se, ao seu nome, o título Hindu de respeito Shri ou Sri (Shri Ganesh), que em português se equipara a Senhor Ganesha.

 

No alto da colina, em frente ao Ganesh Tok, tem estas barraquinhas que vendem souvenirs e, um pouquinho mais adiante, tem uma pequena cafeteria que vende chás, chai, café, água e lanches.


Depois de entrar no Ganesh Tok e após subir  lance de escadas, é preciso deixar os calçados neste local, antes de seguir até o alto do prédio, onde fica o Templo de Ganesh. Em frente à esta prateleira de calçados, tem um pequeno tanque e uma torneira para quem quiser lavar os pés na volta, porque eles ficam bem sujinhos de pó.

*A entrada ao templo é gratuita!

Começando a subida...


A grande quantidade de Bandeiras Sagradas que existem no Ganesh Tok é uma cena rara se comparada aos demais templos hindus na Índia, mas elas ão vistas apenas por quem está próximo ao templo. Estas bandeiras são conhecidos como Patakas, que em Sânscrito que significa bandeira.

Vista de Gangtok e da Torre de Televisão de Sikkim


Do alto do templo, de um lado, podemos ter uma vista aérea fascinante de Gangtok e arredores e de outro, se o céu estiver sem nuvens, do Khangchendzonga, a montanha mais alta da Índia e a terceira mais alta do mundo, com 8.585 metros de altitude.

Seja lá para qual lado se olha, a vista é de tirar o fôlego!

Templo com a imagem do Deus Ganesha

O templo propriamente dito, com a imagem de Ganesha, é um espaço muito pequeno, que fica no último andar da construção. Infelizmente, não é permitido fotografar ou filmar lá dentro. 

Vista de Gangtok e arredores

Me conte nos comentários o que você achou deste templo hindu e se você já tinha ouvido falar em Ganesha. 

Beijos,
Ana
LEIA MAIS

Enchey, o Mosteiro Solitário, em vídeo!

No post anterior eu escrevi sobre um dos templos budistas que eu visitei em Sikkim, na Índia, que é o Enchey Monastery, cuja tradução literal significa; Mosteiro Solitário!


Para saber mais e ver fotos incríveis, leia o post, mas agora, aperta o play e vem comigo passear pelo Enchey Monastery.


Gostou do vídeo? deixe seu like lá no youtube e compartilhe em suas redes sociais. obrigada!
Beijos,
Ana

*Você já se inscreveu no canal? Não? Tsc, tsc....
LEIA MAIS

Enchey Monastery, o Mosteiro Solitário - Budismo na Índia

O Enchey Monastery ou Mosteiro Enchey, foi construído pela primeira vez na década de 1840, pelo oitavo Chogyal e tornou-se um centro religioso, próximo a Gangtok, até então, uma pequena aldeia, que depois tornou-se um local de peregrinação.

Enchey Monastery

Sua localização é no alto de uma colina, distante 3km do centro de Gangtok. Oferece uma vista estratégica da cidade e uma impressionante vista para o monte Kanchendzonga, a mais alta montanha da Índia e a terceira mais alta do mundo.

Vista de Gangtok (com zoom), do pátio do Enchey Monastery

A estrada até a colina onde fica Enchey Monastery é muito bonita

Placa com um breve histórico de Enchey Monastery


Após este portão de entrada, ainda precisa subir mais um pouco até o alto da colina, onde fica o mosteiro.A entrada é gratuita!

Bate papo entre monges

Significado do nome e a lenda do monastério
O significado literal de Enchey Monastery quer dizer "Mosteiro Solitário" e sua santidade é atribuída à crença de que Khangchendzonga e Yabdean - as divindades protetoras - residem neste mosteiro. De acordo com uma lenda, o Guru Padmasambhava dominou os espíritos de Khangchendzonga, Yabdean e Mahakala no loal. Em vista desta lenda, o significado religioso do Enchey Monastery está profundamente enraizada em cada casa em Gangtok. Acredita-se também que estas divindades poderosas cumprem sempre os desejos dos devotos.

O monge e as rodas de oração

O Enchey Monastery pertence a ordem Nyingma do Budismo Vajrayana e abriga 90 monges. Sua localização foi abençoada pelo Lama Drupthob Karpo, um expoente de renome tântrico no Budismo, com poderes de voar. Inicialmente, uma pequena Gompa (pequeno mosteiro) foi estabelecida por ele, depois que ele voou da Colina Maenam, no Sul de Sikkim, até este local, onde viveu. No entanto, o mosteiro com a atual estética, foi construído em 1909, mas foi destruído em 1947 e reconstruído em 1948, com o apoio dos fieis.


O Enchey Monastery é coberto por uma brilhante cúpula dourada e abriga uma série de imagens de Deuses, Deusas e objetos religiosos. As divindades adoradas neste mosteiro são o Buda, Loki Sharia e Guru Padmasambhava.

Janela de orações, toda ornamentada e colorida.


Imagino que esta imagem seja do Guru Padmasambhava, mas não tenho certeza.


Escritório e pátio do mosteiro

Infelizmente, não tive acesso há muita coisa no interior do monastério e o que eu vi, nem sempre podia fotografar, mas vou ilustrar com as fotos que eu consegui fazer.


As paredes no grande salão de oração são totalmente cobertas com pinturas e murais de quatro reis religiosos, as divindades das quatro direções cardinais, como afirmado nas escrituras e toda a galáxia de divindades budistas Mahayan.

Os manuscritos das escrituras são mantidos em um almirah (armário). O mosteiro possui também uma boa biblioteca e uma grande coleção de máscaras, que são usadas para as danças rituais que acontecem anualmente.


Os quatro pilares que suportam o telhado do mosteiro são elaboradamente esculpidos. As janelas do mosteiro são pintadas e ricamente esculpidas.

Chorten em Enchey Monastery


Não sei o que significa este forno, mas tinha algo sendo assado lá dentro. Na plaquinha ao lado dizia: "Por favor, não coloque dentro chang (o que seria isso?) ou carne"!

Rodas tibetanas de oração

Como o próprio nome indica, mosteiro tem uma atmosfera pacífica e serena e está todo enfeitado com as bandeiras coloridas da oração, que balançam conforme o vento, em torno do mosteiro.

Ao passar por estas rodas, os fieis as rodopiam enquanto fazem suas orações.

Tourmet, as rodas de oração

Como todos os outros mosteiros Nyingmapa em Sikkim, o Enchey Monastery também está sob a jurisdição do Pemayangtse Monastery.


Frase de Buda em uma das colunas que sustentam as rodas de oração: 
"Você é seu próprio Mestre,
Você é seu próprio inimigo,
Como você é seu próprio testemunho,
é responsável para fazer o bem."


Curiosidade sobre o Budismo na Índia: apesar do Budismo ter surgido na Índia, atualmente, menos de 1% da população do país é budista. Este declínio deve-se ha sucessivas invasões e impérios que dominaram a Índia, além da rivalidade com os hindus e muçulmanos.

Em 1950 a China invadiu o Tibet e, em 1959, Dalai Lama se exilou na Índia e o budismo passou por uma renovação, mas mesmo assim, ele é ainda praticado em pontos isolados do país.


Espero que você tenha gostado desta visita ao Enchey Monastery! Aqui no Brasil existem alguns templos Budistas, como em Foz do Iguaçu, no Paraná e em Três Cirias, no RS. Você já visitou algum?

Beijos,
Ana
LEIA MAIS

Os incríveis templos de Sikkim!

O Estado de Sikkim, no nordeste da Índia, além da natureza exuberante, é muito famoso pelos seus belíssimos templos. São mais de 100 templos budistas em todo o Estado, alguns templos hindus e umas poucas mesquitas. Não vi nenhuma igrejas católica, mas talvez tenha.


Eu visitei  quatro templos em Sikkim, dois budistas e dois hindus, nas cidades de Gangtok e Namchi. Não visitei mais templos para também poder visitar outras atrações, principalmente as belezas naturais.

Enchey Monastery - Gangtok - Monastério Budista

Ganesh Tok - Gangtok - Templo Hindu dedicado à Ganesha

Siddhesvara Dhaam - Namchi - Santuário Hindu

 Samdruptse - Namchi - Templo Budista

Este post foi apenas para apresentar os templos e nos próximos, vou mostrar cada templo individualmente.

Ainda hoje, post sobre o Enchey Monastery!

Namaste,
Ana
LEIA MAIS

Tashi View Point e a espetacular vista para os Himalaias

Ainda sobre as atrações turísticas de Gangtok, este post é sobre o Tashi View Point, distante cerca de 8km da cidade, em uma estrada ao norte do Estado de Sikkim, na Índia. 


Para chegar até o alto do mirante, é preciso subir muitas escadas, mas a vista é impressionante e compensa o esforço. 


Se o dia estiver com o céu bem limpo, pode-se admirar os picos das montanhas da imponente Cordilheira do Himalaia e o Monte Khangchendzonga, que é o mais alto da Índia e 3º mais alto do mundo, com 8.599 m de altitude.

Tem como não ficar zen com uma vista destas?

Estrada que dá acesso ao Tashi View Point

O mirante oferece também uma bela vista dos arredores de Gangtok e alguns monastérios (Templos Budistas) próximos, como o Labrang Monastery e o Phodong Monastery.


A natureza em volta é exuberante e dizem que assistir o por do sol nos Himalaias é magnífico. É também um local de muita paz e tranquilidade.

O mirante é muito bem cuidado e detalhes como este vaso florido o torna ainda mais belo.


Lá em cima venta muito e costuma ser frio, mesmo em dias de verão. Quando eu fui, o dia estava ensolarado e pude admirar muita coisa, mas o céu não estava totalmente limpo, tinha uma névoa sobre as montanhas mais altas e não pude admirar o Monte Khangchendzonga.


Este local panorâmico foi construído pelo Rei de Sikkim e o Departamento de Turismo do estado instalo para descanso dos visitantes e uma cafeteria. 

Esta cafeteria serve apenas lanches, café e sorvetes, não oferece refeições como almoço ou jantar. 

Não sei o que significa estes dragões. Na plaquinha consta apenas para não subir no local.

Que tal esta lixeira de macaquinho? Só que não são eles que largam lixo por aí!

Como tem um posto militar ao lado, é proibido fotografar alguns ângulos onde aparece o posto militar, muito bem protegido por militares fortemente armados. 

Eu, descabelada e com fome!

Do outro lado da rua, em frente à escadaria de acesso ao Tashi View Point, tem um restaurante que serve comida local super deliciosa e por preços bem acessíveis.


Eu almocei lá e paguei 300 rúpias (cerca de R$ 17,00). Além dos pratos acima, acompanhava o roti (pão indiano), saladinha de cebola, água mineral e chai.

Para chegar até o Tashi View Point eu fui de táxi. A entrada é gratuita e está aberto do nascer ao por do sol.

Espero que você tenha gostado de mais este lugar junto à natureza exuberante de Gangtok!
Beijos,
Ana
LEIA MAIS