Templo Sikh em Nova Delhi!

Já postei aqui sobre a Mesquita Jama Masjid, a maior da Índia e sobre o templo hindu Akshardham, o maior do mundo, ambas em Nova Delhi. E para encerrar o tour religioso na capital da India, hoje vou falar um pouco sobre o Gurdwara Bangla Sahib, um templo da religião sikh.

*Gurdwara: templo sikh e o significado da palavra é "porta através da qual se pode aceder ao mestre".


Este gurdwara é muito parecido com o complexo do Golden Temple, em Amritsar, no estado de Punjab. Então, se você não pode ir até Amritsar e quer conhecer um templo sikh, este em Delhi é uma excelente alternativa, inclusive pela localização, pois fica no bairro de Connaugth Place, na Ashoka Road - estação de Metrô Shivaji Stadium.

Golden Temple - Amritsar

Eu estive no Golden Temple, visitei todo o Complexo, fiz refeições, fotografei e filmei tudo o que pude e já mostrei aqui, mas no Bangla Sahib, eu fui no meu último dia na India e meio na corrida, apenas para registrar algumas fotos e contar aqui no blog sobre ele.


Gurdwara Bangla Sahib é um dos mais proeminentes gurdwaras sikhs na India, conhecido por sua associação com o oitavo Sikh Guru, Guru Har Krishan. Foi construído, pela primeira vez, em 1783.


Assim como no Golden Temple, o Bangla Sahib também possui uma piscina dentro do seu complexo, chamada de "Sarovar." 

Sua cúpula dourada se destaca em meio a construção branca.


Breve história do Gurdwara Bangla Sahib: o local abrigava originalmente um bangalô, que pertencia a Raja Jai Singh, um governante indiano no século XVII, e era conhecido como Jaisinghpura Palace. O local era um bairro histórico chamado de Jaisingh Pura, que foi demolido para a construção de Connaugth Place.


Epidemia de cólera e varíola: o oitavo Sikh Guru, Guru Har Krishan residiu neste bangalô durante a sua estadia em Delhi, em 1664. Na época, houve uma epidemia de cólera e varíola e Guru Har Krishan ajudou os doentes, oferecendo água fresca do poço da casa. Mas logo ele também contraiu a doença e morreu em 30 de março de 1664.


Mais tarde, um pequeno tanque foi construído por Raja Jai ​​Singh sobre o poço e a água é reverenciada como tendo propriedades curativas. Todo os sikhs, antes de saírem da gurdwara, aproveitam, a oportunidade para beber esta água.


Para entrar no gurdwara, assim como em todos os templos e mesquitas da Índia, os visitantes precisam cobrir os cabelos e não usar sapatos.

Livraria Sikh

No Complexo Bangla Sahib tem uma livraria (foto acima, onde eu comprei dois livros sikhs), uma biblioteca, um museu e até uma escola. 


No Baba Baghel Singh Museum, muitos livros e objetos sagrados contam a história da religião sikh.


Na entrada do Bangla Sahib está sendo construído um grande portal e eu imagino que ficará muito bonito depois de pronto, destacando ainda o gurdwara.


Curiosidade: o nome “Sikh” vem da palavra sânscrita “sisya”, que significa “discípulo” ou “aprendiz”. O fundador do Sikhismo foi o Guru Nanak.


A água da piscina, no centro do templo, conhecida como “Sarovar”, é considerada santa pelos sikhs e com poderes milagrosos de cura, por isso, muitos se banham nela.


Como acontece em todos Templos Sikhs, todas as pessoas, independentemente de raça ou religião, podem comer na cozinha do Gurdwara, no chamado Langar Hall. O alimento é oferecido gratuitamente a todos os visitantes.


Como eu fiz uma passagem relâmpago pelo Gurdwara Bangla Sahib e também porque havia almoçado há pouco tempo, não fiz as refeições oferecidas, mas escolhi um picolé indiano de sobremesa, que era vendido lá na frente. Na foto acima eu já estou sem o vestido longo que usei para entrar no gurdwara.

Espero que você tenha gostado de conhecer mais este tempo religioso na Índia.

Beijos,
Ana

Links relacionados a este post:
Mesquita Jama Masjid: post e vídeo
Akshardham Mandir: post e vídeo
Golden Temple: post e vídeo
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

6 comentários :

  1. Lindas fotos Ana! Eu teria uma dificuldade para visitar o templo: não consigo ficar descalço...rsrs

    bjs

    http://nandaaflordapele.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda, obrigada!
      Pois é, temos que entrar com os pés descalços em todos os templos e mesquitas, o pé fica preto, cascudo, mas eu sempre levava lenços umedecidos e "lavava" o pé antes de calçar o tênis ou sandália novamente. O ruim mesmo era quando o piso estava fervendo, por causa do calor. Já "assei" a sola do pé várias vezes, hahaha...
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Ana,
    Que lugar lindo! Eu só sabia do Taj Mahal, estou tomando conhecimento de outras construções interessantes aqui no seu blog.
    Nem sei como agradecer, pois eu não tinha pensado na Michelle Obama. Quando vi o seu comentário, parei tudo e já fui atrás dos looks. Estou com mais de 20 fotos separadas para montar os looks.
    Bjs e obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Betty, pra você ver o poder do marketing, só dá Taj Mahal mesmo quando falamos em India, principalmente pela história de amor, mas existem outras construções belíssimas também.

      Sobre a Michelle, que legal, estou curiosas para ver os looks que você separou, ela é simples, mas muito estilosa.
      Beijos

      Excluir
  3. WAHEGURU!
    Aqui em casa não somos Siks, mas amamos muito e seguimos os preceitos de amor do Guru Nanak.
    HARI OM
    __/\__

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lau, o sikkismo é uma religião bem interessante, baseada no que tem de bom o Islã e o Hinduísmo. Foi criada para acabar com as diferenças sociais, étnicas, entre homens e mulheres, enfim, uma religião para colocar todos no mesmo patamar.
      Beijos

      Excluir


Obrigada por comentar! É bom demais receber o retorno dos leitores.
Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.