Panamik e a água quente que brota da terra!

Panamik é um vilarejo localizado na estrada que atravessa o Vale de Nubra (Nubra Valley), em Ladakh, extremo norte noroeste da Índia.

* Depois de um longo intervalo, volto com posts e vídeos inéditos sobre Ladakh, na Índia.

Panamik Hot Sring

Esta estrada segue para a geleira de Siachen, na fronteira com o Paquistão. Mas Panamik é o ponto mais distante que pode ser alcançado pelos turistas!

Panamik Hot Sring

Para chegar até Panamik, é necessário, à partir de Leh, subir de carro a Khardung-la Pass, uma das montanhas mais altas do mundo que possui acesso a veículos automotores (mais de 5.300m de altitude).

Panamik Hot Sring

Neste local, houve confrontos entre militares indianos e paquistaneses, durante a Guerra Kargil de 1999, portanto, existe uma forte presença militar em em ambos os lados da fronteira.

Panamik Hot Sring

Como é uma zona considerada Área Restrita,  os turistas estrangeiros que desejam visitar o local precisam de uma permissão especial (Inner-Line Permit) das Forças Armadas da Índia.

As rodovias são controladas pela BRO (Border Road Organisation), que pertence ao Exército Indiano, que é responsável pelo controle terrestre das zonas de fronteira.

Por onde corre a água, o chão é em tons verde-enferrujado.

Esta área fica totalmente isolada do resto do país de outubro a abril, pois o único acesso é terrestre e através das montanhas, cujas estradas ficam totalmente cobertas de neve em boa parte do ano.

Panamik Hot Sring

Eu fiz uma pequena parada em Panamik Hot Spring, uma Estação de Banhos, mas estava desativada porque ainda não tinha começado a temporada de turismo. Pelo menos a cozinha estava funcionando.

Panamik Hot Sring

As fontes de água quente brotam da terra e possuem propriedades medicinais curativas, especialmente para doenças cutâneas, gástricas e dores articulares, devido à grande quantidade de enxofre em sua composição. 

Panamik Hot Sring

A água é realmente muito quente e mesmo com o ambiente gélido em volta, ela não esfria enquanto corrente. Mas nos reservatórios parados ela se mantém morna

Panamik Hot Sring

Esta água naturalmente quente possui uma grande quantidade de enxofre e outros minerais e é indicada para fins medicinais e terapêuticos.

Panamik Hot Sring

Apesar da grande quantidade de enxofre, a água deste local é inodora como qualquer água limpa.


Ao que parece, 2 canos estão "fechados", devem ser os que abastecem os chuveiros e/ou piscinas desativados.

Panamik Hot Sring
Não sei se esta cor esverdeada é do enxofre ou de limo!

Para a limpeza e conservação do local, existe uma Cooperativa de Mulheres, que cuidam da manutenção e por isso, é cobrado uma taxa de RS 30 rúpias de cada visitante (cerca de R$ 1,50).

Panamik Hot Sring

Depois de subir até o local onde brota uma das fontes de água quente, entrei na cozinha da estação para uma beber um chai.

Panamik Hot Sring

Esse era o menu e eu escolhi um Ladakh Tea e uma massinha, tipo Miojo bem apimentado  (para comer, era só o que tinha). 

Panamik Hot Sring
Estas mulheres fazem parte de uma cooperativa  feminina que cuida e administra o local.

Ladakh Tea ou Yak Butter Tea: Chá das Montanhas

A massinha estava ok, mas o Ladakh Tea, também chamado de Yak Butter Tea ou Chá das Montanhas, eu não consegui beber. É um chá tibetano com manteiga de leite de Yak e Sal do Himalaia. Muito estranho, dei o primeiro gole e não consegui beber mais. Então pedi um Chai indiano normal.

Panamik Hot Sring
O lugar é bem rústico e estava vazio, pois não era época da estação turística.

Panamik Hot Sring
Fotografei o teto porque achei super interessante!

Panamik Hot Sring
Quando tem muitos turistas, o chá é servido neste ambiente.

Ao lado tem duchas e pequenas piscinas com as águas quentes, mas estavam desativadas.

Panamik Hot Sring

Na frente desta estação de banhos tem uma placa que explica o motivo de cobrarem  Rs 30 rúpias para se visitar a fonte de água, pois eles precisam de recursos para manter o local limpo.

Na placa destaca o uso desta água para fins medicinais e terapêuticos, principalmente para doenças de pele, gástricas e para dores nas articulações.

No próximo post vou dar a receita do Ladakh Tea, caso alguém tenha ficado curioso e deseja fazer, nem que seja parecido, porque por aqui não encontramos Manteiga de leite de Yak. Mas sal do Himalaia já temos!

Beijos,
Ana Maria
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
É bom demais receber o retorno dos leitores. Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.