O belíssimo encontro dos Rios Indus e Zanskar

Indus e Zanskar, dois importantes rios que se cruzam no Zanskar Valley, em Ladakh, na Caxemira, norte da Índia! 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Confluência dos Rios Indus e Zanskar

Um é verde e lamacento (Indus), enquanto o outro é um rio azul brilhante (Zanskar). Ambos se originam no alto Himalaia. O Indus se origina no deserto frio de Changthang e o Rio Zanskar, nas faixas de Zanskar.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Zanskar Valley

*A região de Zanskar é um semi-deserto de alta altitude, deitado no flanco norte da Grande Cordilheira do Himalaia.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Esta cordilheira atua como uma barreira climática protegendo Ladakh e Zanskar da maior parte da monção, resultando em um clima agradavelmente quente e seco no verão. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Encontro cênico de dois rios dos Himalais: Indus e Zanskar

A confluência de Indus e Zanskar
A confluência do Rio Zanskar (de cima, na cor azul) e o Indus (que flui da esquerda para a direita)  fica a 3km à sudeste da vila de Nimmu, em Ladakh, estado de Jammu e Kashmir, norte da Índia.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Confluência dos Rios Indus e Zanskar

Curiosidade: durante os meses de verão, o Zanskar é um rio rápido e o Indus, relativamente calmo. Mas durante o inverno, é exatamente o oposto. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Rio Indus

Indus, o rio que deu nome à Índia
O rio Indus, em sânscrito, hindi e persa significa: “Pai dos Rios” e em tibetano, "Rio Leão". O topônimo "Índia" é proveniente do nome do rio. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Ponte sobre o Rio Indus

O Indus é o rio mais longo e mais importante do Paquistão e um dos mais destacados rios do subcontinente indiano. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Rio Indus

Com origem no planalto tibetano, próximo ao lago Manasarovar, o Rio Indus atravessa a região do Ladakh, na Caxemira e no Gilgit-Baltistão, na direção sul, cortando o Paquistão de norte a sul até desaguar no mar Arábico, perto da cidade paquistanesa de Carachi. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Às margens do Rio Indus eu sentei e sorri!

Seu comprimento é de cerca de 3.200 km. Desde sua origem, no topo do mundo, em meio a geleiras, alimenta um ecossistema de florestas temperadas, planícies e campos áridos. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Ironia
Como uma ironia à rivalidade entre Índia e Paquistão, o rio que deu nome a Índia é o maior rio e a principal fonte de água para a economia do Paquistão.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Mesmo sendo de cor verde lamacenta, o Indus também é transparente.

O Indus é um dos poucos rios do planeta a possuir um refluxo de maré e o fluxo do Indus varia conforme as estações do ano: reduz-se durante o inverno e chega a extravasar durante o período das monções (julho a setembro). Há indícios de que seu curso se moveu para oeste ao longo do tempo. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
A cor do Zanskar impressiona muito pela tonalidade azul intenso

Rio Zanskar
O rio Zanskar toma um curso do nordeste até que se junte o Indus em Ladakh. O curso inferior (norte) da garganta do Zanskar é um destino popular no verão para a prática de rafting, principalmente desde Chiling até Nimo. No inverno, quando a estrada para Zanskar está encerrada devido à neve, a única ligação para Padum é o leito congelado do Zanskar. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Os dois rios, lado a lado, sem que as águas se misturem.

Chadar Trek
São organizados trekkings de vários dias para turistas, ao longo de um percurso de 105 km. Este trekking é conhecido como o Chadar Trek (Chadar signfica "placa de gelo"). 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Bandeirinhas budistas tibetanas de oração, são colocadas para dar proteção ao local.

Durante o inverno, o Zanskar, em vez de ser o rio de montanha rápido, é o que diminui a velocidade e começa a congelar, fazendo assim o fluxo muito menor, enquanto o Indus se move relativamente rápido e com muito gelo flutuando sobre ele. O Zanskar congela completamente durante alguma parte do inverno, o que permite o Chadar Trek e o Indus continua fluindo, embora já esteja começando a congelar em alguns pontos. Verão ou inverno, esta confluência é um belíssimo espetáculo. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Neste pequeno prédio, localizado bem em frente à confluência dos rios Indus e Zanskar, podem ser contratados os passeios de raffting.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Rafting: nos rios Zaskar e Indus, organizado a partir de Leh. O rafting na rota de de Nimmu para a fronteira paquistanesa tem corredeiras de severidade crescente que correm ao longo das classes de 4, 4+ e 5, podendo ser muito perigoso e só aconselhável a quem é muito experiente no esporte. 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Rafting suave, para principiantes, na confluência dos Rios Indus e Zanskar.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Literalmente de pernas pro ar, diante do encontro dos rios Indus e Zanskar.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Como chegar: este local fica próximo à cidade de Leh (distante cerca de 34km). Eu contratei carro com motorista em uma agência de Leh e fiz no mesmo dia o passeio para Magnetic Hill, Guruduwara Sri Pathat Sahib e a Confluência dos Rios Indus e Zanskar.

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.

Este post foi mais um entre os muitos que eu tive dificuldade na seleção das fotos. Todas me pareciam necessárias, mas consegui me conter (um pouco). 

Confluência dos Rios Indus e Zanskar, em Ladakh, Índia.
Eu fiquei encantada com este lugar!

Que tal o encontro destes rios? E você imaginava que um deles originou o nome da Índia?

Beijos,
Ana Maria

*Estas fotos foram feitas no final de abril de 2016, na primavera indiana. 
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

6 comentários :

  1. Amiga, parabéns pela belíssima matéria com suas encantadoras imagens! Não consigo descrever o quanto amei essa postagem. O lugar é lindo demais, um paraíso! Arrasou!!! <3

    Beijos

    www.cuidadosevaidades.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris querida, muito obrigada, não imagina como fiquei feliz com esse feedback!
      O lugar é realmente incrível, só as imagens para mostrar tamanha beleza, porque com palavras não é possível descrever!
      Beijão,
      Ana

      Excluir
  2. OI Ana,
    Vi as fotos no G+ e fiquei encantada! Aquele rio azul encontrando com o rio lamacento cria um efeito de obra de arte!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Betty, belíssimo espetáculo, não é? A natureza sempre nos surpreendendo!
      Beijos,
      Ana

      Excluir
  3. Impressionante esse azul!E a não "mistura" deles!Lindas imagens!Ana!
    bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo, esse azul é impressionante e ele muda de tonalidade conforme a estação do ano e a luz do dia.
      A composição das águas é diferente, por isso elas não se misturam logo, só mais adiante, como acontece com os nossos rios Negro e Solimões, no Amazonas.
      Beijos,
      Ana

      Excluir

Obrigada por comentar!
É bom demais receber o retorno dos leitores. Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.