Rishikesh, a capital mundial da Yoga, aos pés do Himalaya

Rishikesh é uma cidade no estado de Uttarakhand, localizada aos pés da Cordilheira do Himalaia, no norte da Índia. Além de ser uma cidade muito espiritualizada para os hindus, é conhecida também como a capital mundial da yoga.


O acesso à Rishikesh não é muito fácil, talvez por isso mesmo ela é uma cidade muito tranquila e perfeita para meditação. Localizada há 250km de Delhi, a capital do país, o acesso pode ser feito apenas de carro ou ônibus. 


Não há linhas ferroviárias ou aéreas que servem o local. Pode-se ir de trem até uma cidade vizinha que tenha trem e depois pegar um ônibus até Rishikesh.

Pelo caminho passamos por paisagens bem diversas, muitos rios e templos hindus

Eu optei por pegar um ônibus direto, partindo de Delhi e foram cerca de 7 ou 8 horas de viagem. O ponto final do ônibus fica numa zona comercial da cidade, em uma área plana e distante alguns quilômetros da área zen.

A parada final do ônibus é quase em frente a este templo hindu

Depois, percorri mais um trecho de tuk tuk, montanha acima até o hotel, de onde se tinha uma vista incrível para as montanhas do Himalaya e o Ganges.

*Tuk tuk: táxis triciclos


Fiquei hospedada no apartamento onde está a setinha branca. Neste prédio são dois apartamentos por andar.

Eu fiquei num hotel excelente, o Hill Top Swiss Cottage (encontrei pelo Booking), que fica numa parte bem alta da cidade. O hotel é bem grandinho, com área bem maior do que este prédio que aparece na foto. À esquerda (não aparece na foto) ficam vários apartamentos para quem não pode ou não quer ficar subindo escadas. Quando eu não estava a fim de descer, pedia um lanche ou um chai no quarto mesmo.


Meu apartamento tinha uma sacada super legal, até com rede para descansar e apreciar a vista.

Vista estonteante, todas as manhãs, da sacada do apartamento 

Ashrams

Muitos visitantes se hospedam em *Ashrams, onde regras e horários são bem rígidos e muitos não aceitam turistas estrangeiros, mas é um tipo de hospedagem mais barato e totalmente no clima do local. Não sou disciplinada a este ponto e preferi ficar num hotel, com mais liberdade e privacidade.


*Ashram: em hindu, significa proteção, mas é também como são chamadas as comunidades ou alojamentos que promovem uma espécie de retiro espiritual, segundo as doutrinas dos guris hindus.

A alimentação que eu vi por lá foi praticamente só vegetariana. Em nenhum lugar eu vi refeições com carne ou frango. Como eu adoro vegetais, para mim, estava ótimo. Ah, mas os pratos são bem apimentados!

Esta rua é cheia de cafeterias e confeitarias

O comércio de bebidas alcoólicas é proibido no local. Imagino que isso também ajuda, e muito, a manter a paz e a concentração do lugar.

Banquinhas com venda de artesanatos e produtos locais

Yoga em quase todos os prédios e muitas farmácias com produtos ayurvedicos


Como o terreno da cidade é bastante acidentado (cheio de subidas e descidas) o acesso a muitos locais se dá somente à pé. 

Em Rishikesh, tudo acontece devagar, pois o intuito é descansar o espírito. O corpo, nem tanto, porque é muita subida e descida de morros e ladeira que é preciso ter alguma resistência física, senão, não se aguenta.


A cidade é muito tranquila mesmo, de paz total e o maior barulho por lá o mantra dos "yogues", que se ouve em toda a parte. 


Rishikesh é um dos locais mais sagrados para os hindus, pois muitos sábios a visitam para meditação e busca de conhecimentos mais elevados. Além dos visitantes, a gente cruza a todo instante por vacas e pequenos macacos, que circulam livremente pela cidade.

Vi dezenas destes macaquinhos junto à ponte

A cidade é bem pequena, possui uma população média de 110 mil habitantes, é cercada por montanhas e cortada pelo Rio Ganges, que corre límpido e transparente, já que a sua nascente é próxima.

O Rio Ganges cruza toda a cidade e possui pequenas praias em seu curso

A cor da água varia entre o verde e o azul esbranquiçado, talvez por causa das pedras brancas que se encontram nas margens do rio. A temperatura geralmente é de fria a gelada. A temperatura na cidade é bem agradável na primavera, época em que eu fui (maio de 2015).


Rishikesh se divide em duas áreas: a Swarg Ashram, onde estão os Ashrams e a Lakshman Jhula, onde ficam os restaurantes, lojinhas, hotéis e pousadas e uma ponte enorme pênsil de ferro. Esta ponte chama-se Ram Jula e foi construída em 1986.

Ponte Ram Jhula

Do lado esquerdo da ponte tem o belíssimo templo Tera Manzil Shiva e, do lado direito, um grande Centro de Yoga.


Na foto acima, à esquerda, o Tera Manzil Temple, à direita, o Yoga Trainning Centre e ao centro da ponte, muito vento!

A travessia da ponte é bem democrática

Eu já do outro lado da ponte, bem próximo ao sagrado Ganges


No período em que eu fui, a água do Ganges estava ainda muito gelada e eu não me arrisquei nem a molhar os pés!

Mulheres da comunidade secando ao sol os saris que foram lavados no Ganges


Na religião hindu, o Ganges (ou Ganga, para os indianos) é o único Deus vivo e as celebrações (pujas) com oferendas e fogo, simbolizam a queima do ego, ou melhor, é uma Deusa, a Deusa Ganga.


Muitos esportes aquáticos, como o rafting, são praticado no Ganges, que possui uma correnteza bem forte na região.


Os Ashrams promovem cerimônias e rituais com banhos no rio, a fim de purificar a alma dos praticantes. Os homens podem entrar de bermudas, mas as mulheres só podem entrar com a roupa mesmo e com o cuidado de não deixar seu corpo à mostra, depois de molhado.

Até os Beatles estiveram em Rishikesh: na década de 60, os Beatles fizeram um retiro espiritual de 3 meses em Rishikesh, tornando a cidade conhecida mundialmente. Parte do álbum The White foi composta lá. O lugar onde os Beatles se hospedaram (Maharishi Mahesh Yogi) não existe mais, apenas algumas ruínas, mas é possível visitar o local. Eu não fui até lá.

Sadhus 

Além das vacas e macacos, se pode ver muitos Sadhus por lá. Os Sadhus são homens que andam praticamente pelados e cobertos por cinzas. Usam apenas um pequeno pano para cobrir "as partes". Andam descalços, nunca cortam os cabelos e estão sempre sozinhos. Estes homens abdicaram de todo o bem material e só buscam meditação e crescimento espiritual. Se alimentam apenas do necessário para se manterem vivos. São tidos como sábios e são muito respeitados pela população hindu. Infelizmente não tirei nenhuma foto, pois como eles pregam o total desapego, fiquei constrangida em pedir permissão para uma foto. Em contrapartida, há também quem conteste o comportamento deles... nada tradicional, inclusive em relação à maconha, livremente usada em festivais (não digo por todos, mas por muitos).


Em Rishikesh, como em vários outros lugares na Índia, eu também fui bastante assediada para tirar fotos com os indianos, devido ao meu tipo físico diferente. Infelizmente, só fui me dar conta de tirar as fotos com a minha câmera já quando eu estava indo embora, então, só tenho duas fotos "causando" em Rishikesh. Mas é aquela história, exóticos são sempre os outros. 

Você é fã de yoga ou de retiros espirituais? Já tinha ouvido falar em Rishikesh? 

Beijos, 
Ana Maria
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

12 comentários :

  1. Lindas fotos e que vista do apartamento!

    bj

    http://nandaaflordapele.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda, a vista era mesmo de tirar o fôlego, linda!
      Beijos

      Excluir
  2. Lugar bonito em Ana Maria!! o mais interessante e está ao lado do boi, macaco,rsrsrs e com tanto verde, não sei porque o boi está magrinho...as fotos ficaram muito bonitas. Gosto e yoga mas não pratico há anos e retiros aqui já fiz mas não sei se é a nível do indiano, com certeza não, é mais um afastamento da apelação urbana, de vez em quando faz bem. bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wilma, estou aqui rindo com a tua observação sobre as vacas e bois magrinhos... Pois é, deviam ser mais gordinhos, já que verde é o que não falta por lá. Mas os indianos também são bem magros, eles só comem vegetais, não comem carne.
      Eu não sou chegada a retiros espirituais, não tenho concentração, paciência ou disciplina para isto, pois imagino que deve haver muitas regras e eu não tenho mais idade para isso.
      Agora, me refugiar por alguns dias junto à natureza, com total liberdade de ir e vir, dormir até tarde ou levantar cedo, comer o que eu quiser, isso eu adoro!
      Beijos

      Excluir
  3. Ana.. menina vc é pura cultura!!
    Amei o post e achei linda a paisagem, lugar ótimo para descansar mesmo!!
    Beijocas.
    Blog | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Mari!
      A paisagem de Rishikesh é perfeita para quem quer fugir de qualquer badalação.
      Beijocas

      Excluir
  4. kkkk...Ana deve ser porque sou louca por vaquinhas...tanto, que acredite que um dia da janela do meu apto no muro a frente a umidade pintou uma vaquinha linda...e tenho foto, já não moro mais lá. E não curto carne vermelha, apesar de comer raramente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso esmo que vc não curte comer carne vermelha: gosta de vaquinhas, heheh
      Beijos

      Excluir
  5. Ola Ana, estou querendo ir para la em março mas estava com medo de pegar o ônibus sozinha de Delhi, você viajou sozinha?? Comprou a passagem antes? Como foi a viagem? Em qual horário?
    Obrigada
    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata,
      Eu comprei a passagem uns dias antes e a saída de Delhi seria às 21h, mas deve ter saído lá pelas 22h, pois saiu com atraso (era quase verão, muito calor). A viagem foi super cansativa, cheguei em Rishikesh lá pelas 5h da manhã. Eu estava sozinha, mas um casal que estava no meu hotel também ia para lá, por isso aproveitei e fui no mesmo período, pois eu também estava com receio de viajar à noite, mas até que o ônibus que eu peguei estava tranquilo.
      Se você for sozinha, procure comprar a passagem bem na frente, próxima do motorista. E ao descer do ônibus para lanche (ele faz uma ou duas paradas), não deixe sua bolsa no ônibus (por precaução).
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Ana,
    Meu nome e Barbara, sou de Brasilia, estou indo agora p lá, vc passou quantos dias por la? Achou seguro andar sozinha por lá? Msm sem guia local. Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bárbara,
      Gosto muito da sua cidade, tenho uma irmã que mora aí e sempre que posso, passo alguns dias em BSB.
      Sobre Rishikesh, passei 3 noites e 4 dias lá e a cidade é muito tranquila e segura. Inclusive eu ouvi dizer (pelos indianos) que é uma das mais seguras para os turistas que visitam o norte da India.
      Mas, por via das dúvidas, apenas evite circular sozinha pelas ruelas tarde da noite.
      Depois me conte o que você achou da cidade, tá?
      Beijos e curta bastante!
      Ana

      Excluir

Obrigada por comentar!
É bom demais receber o retorno dos leitores. Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.