Quanto custa viajar para a Índia?

Essa é uma das perguntas que eu mais recebo e a mais difícil de responder, pois é tudo muito relativo. O quanto se gasta em uma viagem à Índia depende de tantos fatores, mas eu vou tentar dar uma ideia de custos. Depois, cada pessoa faz os cálculos de acordo com o que pretende conhecer e gastar.

Jodhpur

Primeira coisa que eu preciso deixar claro: não fiz uma viagem 5 estrelas, mas também não foi mochilão! Foi uma viagem de aventuras, mas muito confortável. 

Não dormi em hostels nem dividi quarto ou banheiro. Viajei de trem somente em vagões com ar condicionado e ônibus idem. Viajei muito de avião também. Contratei carro com motorista em Sikkim e em Ladakh.

Obviamente que os meus gastos foram superiores aos de quem se hospedou em hostels ou em hotéis com banheiro compartilhado, viajou de trem em vagões sem ar condicionado e não fez trechos internos via aérea. Tudo depende do que você pretende fazer e se está disposto ou não a passar por algum tipo de privação para economizar.

Li recentemente o post de uma blogueira/mochileira que viajou pela Índia durante dois meses e teve um gasto médio diário de 15 dólares. Deixou bem claro que foi tudo com conforto reduzido ou quase zero, mas que, mesmo assim, adorou a viagem.

Eu acho interessante quem se propõe a isso, mas não é para mim! Para você ter uma ideia, a minha média diária de gastos com hotéis e alimentação foi entre US$ 60,00 a US$ 80,00, às vezes bem mais, outras menos. Fora os passeios, deslocamentos de trens, aéreos, táxis, tuk tuks, metrô, entradas nos lugares turísticos, comprinhas, etc. Ah, e tinha também os"tips" (gorjetas).


*Incluí agora uma média geral diária de gastos, com tudo incluso: hotel, alimentação, deslocamentos de trem, aéreo, metrô, táxi, aluguel de carro com motorista, ingressos, etc, que ficou em torno de US$ 130,00 a 150,00. Fiz esta média dividindo o valor total gasto na Índia pelos dois meses em que eu viajei pelo país. A seguir, vou explicar um pouco sobre esta média em cada segmento.
Uma das viagens internas, feitas com a IndiGo

Eu não desfrutei de hospedagem de luxo, mas fiz questão de conforto e privacidade. Fui a lugares remotos que, mesmo querendo, eu não teria luxo, mas consegui um certo conforto. E paguei por isso.

Então, os meus cálculos de viagem são de acordo com o meu estilo. Você pode gastar muito mais ou muito menos, depende do que você está disposto a vivenciar. Esta viagem eu mesma organizei e fui sozinha, sem nenhum tipo de pacote. 

Vou fazer um resumo dos gastos que eu tive nesta viagem de 2016, que durou cerca de dois meses só na Índia. Não estão inclusas as despesas de Abu Dhabi e de Nova York, que fiz no período antes e depois da Índia. 

Etihad Airways

Passagem aérea: a passagem aérea de ida do Brasil para a Índia, com retorno para Nova York, eu comprei direto com a Etihad. A volta para o Brasil, de Nova York, eu viajei com a LATAM. Não vou colocar o valor que paguei, porque têm outros lugares inclusos, mas você precisa pesquisar muito para conseguir um valor mais acessível, ver qual é o melhor período e companhia aérea. Os preços variam de R$ 3.000,00 a R$ 8.000,00, na Classe Econômica, com saída de São Paulo ou Rio de Janeiro. Outras cidades têm custo adicional.

Atualização em novembro de 2016: a partir de 25 de março de 2017, a Etihad deixará de operar seus voos para o Brasil. Poderá retornar quando a crise econômica amenizar.

Os hotéis eu reservei pelo site do booking.com e os passeios locais eu contratava em agências indicadas pelos hotéis onde eu me hospedei. Assim também foi com as passagens aéreas e de trens. Alguns tickets eu comprava direto nos balcões das companhias ou nas estações de trens. Tudo dependia da logística. Se eu tinha que gastar muito tempo e dinheiro com deslocamentos, eu preferia comprar pela agência, mesmo pagando um pouco mais caro. Muitas economias não compensavam.

Então, agora vamos aos números

*A cotação da Rúpia, quando eu estava na Índia, entre março e maio de 2016, era de R$ 17,00 (alguns dias estava em R$ 18,00). Isso mudava de acordo com a variação cambial do dólar, mas vou fazer os cálculos baseados no que eu paguei, levando em conta que quando eu viajei, o dólar estava acima de R$ 4,00.

Sea Green South Hotel, em Mumbai - muito antigo e caro, mas a localização é top!

Hospedagem: gastei de 1.500 a 5.000 rúpias com as diárias*, sem café da manhã incluso. Em reais: de R$ 90,00 a R$ 300,00. Média simples entre 2.000/2.500 rúpias - R$ 117,00/R$ 147,00 de gastos com as diárias.

*Diárias em apartamentos duplos, pois os hotéis em que eu me hospedei não tinham quartos individuais. Quem viaja em dois, divide este valor.

Um dos lugares de hospedagem mais cara foi em Mumbai. O hotel era de frente para o Mar da Arábia, mas era um hotel bem antigo. Achei muito caro pelo que ele oferecia, mas a localização era maravilhosa. E o atendimento também, o que compensava a "antiguidade" do hotel. E paguei caro também porque estava acontecendo um Campeonato de Rugby naquela semana e os hotéis da cidade estavam todos lotados.

Comidinha simples (tinha outros acompanhamentos), com valor em torno de 200 rúpias.

Este almoço custou cerca de 300 rúpias. Serve duas pessoas.

Alimentação: Café da manhã, entre 100 e 200 rúpias (cerca de R$ 6,00 a R$ 12,00. Almoço e jantar, entre 300 a 500 rúpias (R$ 18,00 a R$ 30,00). Alguns almoços eu paguei 1.000/1.500 rúpias (R$ 58,00 a R$ 88,00), mas foram em lugares mais sofisticados.

Cafeteria Shamiana - Taj Mahal Palace Hotel

Numa cafeteria do Hotel Taj Mahal Palace, por exemplo, em que eu fui com a Juliana, uma amiga blogueira que mora em Mumbai (blog Tabibito Soul), pagamos 1.600 rúpias cada uma - cerca de R$ 94,00, por um café e um doce de chocolate. 

Alguns doces e sorvetes simples, eu pagava entre 60 a 100 rúpias, mas por um sorvete no aeroporto de Delhi, paguei 500 rúpias. Eu sabia que era mais caro, mas estava com vontade e paguei! 

Média simples diária de gastos com alimentação: cerca de 1.000 rúpias pelas três refeições, mais 400 rúpias por água, sucos, lanches e outras guloseimas durante o dia, porque eu não parava. Média de 1.400 rúpias, ou cerca de R$ 83,00. Alguns dias eu não gastava R$ 50,00 (cerca de 850 rúpias) e comia muito bem.

Ticket de entrada para o Taj Mahal

Entrada nos lugares turísticos: A média era de 500 rúpias, cerca de R$ 30,00. Alguns eu paguei 30, outros 100 rúpias (R$ 6,00). O mais caro foi o Taj Mahal: 750 rúpias (R$ 44,00).

Estação de trem em Amritsar

Tickets de trem e aéreos: em geral eu comprava tudo com apenas um dia de antecedência, o que encarecia muito, mas foi uma opção minha fazer isso. Eu decidia o próximo destino um ou dois dias antes. Eu já tinha em mente os lugares que eu queria ir, mas não o tempo de estada em cada um. 

Média de gastos com trens: entre 1.500/2.800 rúpias por trecho (R$ 88,00/R$ 165,00).

Passagens aéreas: de 4.500 a 8.000 por trecho (R$ 265,00 a R$ 470,00). O voo mais barato foi de Mumbai para Delhi e o voo mais caro, de Delhi para Leh (Ladakh). Fiz trechos aéreos para Varanasi, Calcutá, Mumbai e Leh.

Os valores gastos com táxis, tuk tuks, rickshaws, metrôs, ônibus, eu não lembro todos, mas como sei o valor total gasto na viagem, incluí na média geral de gastos.

Ladakh

Passeio mais caro: o passeio mais caro foi para Ladakh, onde fiquei 7 dias. Incluindo passagem aérea, hotéis, carro com motorista (para ir aos lugares remotos), táxi, alimentação, ingressos, etc, os meus gastos ficaram próximos de US$ 2.000. Mas sobre Ladakh eu farei posts especiais, contando detalhes.

Eu visitei lugares com custo de vida mais alto e outros, muito barato para nós, então é preciso levar isso em conta na hora de calcular os gastos, pois não é a mesma média por toda a Índia. E você pode economizar bastante planejando e comprando tudo com antecedência. Esta viagem foi um presente especial que eu me dei (vou explicar o motivo no post do Taj Mahal) e eu não me preocupei em ficar economizando nos pequenos detalhes, mas foi uma viagem com um gasto total previsto, não estourei o meu orçamento.

Se você tiver mais alguma dúvida sobre gastos, e que eu já não tenha escrito nos demais posts sobre a Índia, deixe nos comentários.

Observação: prefiro que você me pergunte nos comentários, assim outros leitores também ficam informados. Recebo muitos e-mails e perguntas inbox, mas as perguntas abertas ajudariam também outras pessoas interessadas, já que recebo muitas perguntas repetidas.

Com estas informações básicas, você já pode ter ideia de gastos e fazer o seu planejamento de acordo com o que você gosta e quer fazer. Aqui eu contei sobre os meus gastos. Como eu disse, você pode gastar muito mais ou muito menos.

Beijos,
Ana

*Já recebi críticas em alguns grupos no facebook dizendo que eu gastei demais para os padrões indianos, que isso não é a regra. Mas eu expliquei tudinho neste post, é só ler com atenção. Eu gastei mais do que a média porque eu quis um conforto maior e visitar lugares mais caros. Quem quer gastar menos, faz diferente!

**Algumas informações foram atualizadas porque eu encontrei alguns recibos de gastos, mas escrevi quase todo post só com o que eu me lembrava. Se eu encontrar mais alguma informação mais relevante, farei atualizações. O que não vai mudar muito será a média geral de gastos.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

4 comentários :

  1. Muito legal você falar sobre os gastos da viagem aqui, eu por exemplo não teria a minima ideia dos custos.
    E é como você falou, depende também do conforto que a pessoa quer ter e dos passeios que deseja fazer.

    bjs

    nandaaflordapele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda, a India tem para 10 ou 15 dólares por dia, até 1.500 dólares ou mais. A maioria das pessoas posta sobre os tais 10 ou 15 dólares por dia. Certamente o conforto é bastante reduzido e eu quis mostrar que existem também opções meio termo. Não se gasta muito, mas se tem um conforto maior.
      Meu desejo é um dia escrever sobre os 1.500 dólares por dia, hahaha
      Beijão

      Excluir
    2. vc acha que 80.000 rupias dá pra 10 dias? levando em consideração que eu vou pagar o hotel no cartão e esse valor é só para passeios e comer... comprar?

      Excluir
    3. Bom, depende do que você pretende fazer por lá, mas a princípio, este valor está ótimo para passeios, comida e algumas compras. Lembrando que na India, hotéis abaixo de 4 estrelas, nem todos aceitam cartões de crédito e os que aceitam, tem uma taxinha extra. Se você pagar em cash, tem descontinho. Abraços

      Excluir

Obrigada por comentar!
É bom demais receber o retorno dos leitores. Responderei o mais breve possível, então lembre-se de voltar aqui depois para ler a sua resposta.

*Você pode também marcar "Notifique-me", para ser avisado por e-mail quando o seu comentário for respondido.